Ahmed, que substituiu um cristão como capelão gerente em 2015, aparentemente afirmou que o estudo cristão que Song ensina é "muito radical" e que suas crenças cristãs eram muito "extremas", embora o artigo não esclarecesse quais pontos de vista em particular seriam tão questionáveis.

Song, que é ex-policial da Coréia do Sul, revelou que ele foi forçado deixar seu cargo em agosto de 2017, e mais tarde foi notificado que enfrentava "acusações de má conduta" contra um preso que acusou o capelão de se referir a ele como um "terrorista", embora Song tenha negado a acusação.

"Durante 19 anos, eu servi com um histórico exemplar", disse Song. "Trabalhei em harmonia com os detentos e outros membros da equipe, reconhecendo nossas diferenças e orando para que eles chegassem à fé, respeitando igualmente suas decisões e antecedentes".

O Centro Legal Cristão observou que Song ajudou a reabilitar os presos por quase duas décadas.

"Chamar esse cristão que serviu sem nenhuma má conduta por quase 20 anos, de 'extremista' desafia a crença de qualquer pessoa", disse o diretor executivo da CLC, Andrea Williams.

Williams disse ainda ao jornal Premier: "Encontramos em sites de organizações, como a 'Christian Concern', muitos ex-prisioneiros que foram impactados - e que suas vidas se transformaram - como resultado do trabalho, ministério e testemunho de pastor Song. Essa queixa nunca foi fundamentada".

"O nome do prisioneiro ao qual o imã se referiu como 'testemunho do extremismo' de Song em sua denúncia nunca foi revelado", acrescentou.

O Serviço de Prisão e Probação de Sua Majestade respondeu à notícia, afirmando que não pode comentar sobre membros individuais da equipe.

"No entanto, reconhecemos a importância da fé e o impacto positivo que pode ter sobre a vida dos infratores, e é por isso que há equipes de capelania de diversas religiões em cada prisão", explicou o departamento, de acordo com The Sunday Times.

Os capelães prisionais cristãos do Reino Unido foram forçados a sair de suas posições devido a denúncias contra suas pregações em várias ocasiões, nos últimos anos.

O reverendo Barry Trayhorn, um ministro pentecostal ordenado, disse que ele foi forçado a demitir-se em 2015 após um processo disciplinar "injusto e agressivo" que o acusou de citar versículos bíblicos que as autoridades consideravam "homofóbicas".

Trayhorn disse na época que ele estava apenas citando ensinamentos tradicionais, como 1 Corinthians 6, mas foi repreendido por violar as leis de igualdade.

"Eu fiquei muito decepcionado. Tudo o que estava fazendo era pregar a Bíblia e repetir a mesma mensagem de arrependimento que foi ouvida em muitos cultos", disse o ministro na época.

 

http://www.cpadnews.com.br/universo-cristao/43104/capelao-e-impedido-de-evangelizar-em-presidio-apos-muculmano-denuncia-lo-por-extremismo.html

' /> Capelão é impedido de evangelizar em presídio, após muçulmano denunciá-lo por `extremismo´ | SEMADEF
  Facebook   Youtube
doe
SEMADEF
Secretaria de Missões da Assembléia de Deus em Franca

Anunciem a sua glória entre as nações,
seus feitos maravilhosos entre todos os povos!

Salmos 96:3
INÍCIO
CONHEÇA
MISSÕES
MISSIONÁRIOS
PROJETOS
PARCEIROS
FOTOS
VÍDEOS
NOTÍCIAS
CONTATO
NOTÍCIAS   Pag. Anterior  
brasil 75
gospel 1
local 106
mundo 1139
NotÍcias mundo
Galeria de Fotos
COMO OS CRISTÃOS INDÍGENAS SÃO PERSEGUIDOS
Galeria de Fotos
Espanha tem mais de 80 novas igrejas evangélicas por ano, segundo relatório
Galeria de Fotos
Cristãos são proibidos de realizar cultos em casa na Índia.
Galeria de Fotos
Cristãos são presos na Índia por “insultar deuses hindus”
Galeria de Fotos
Mulheres cristãs sofrem mais em países onde extremistas islâmicos estão no poder
<< Início < Anterior Próxima > Ultima >>
Fique por dentro dos ultimos acontecimentos. Curta e Compartilhe com seus amigos!
   
Capelão é impedido de evangelizar em presídio, após muçulmano denunciá-lo por `extremismo´-
 
Data: 08/02/2018 09:14
Novidade

Paul Song foi denunciado por um líder muçulmano, que o acusou de dar ensinamentos `extremistas´ em seus estudos nas prisões
Fonte: Guiame/ Com informações do Christian Post | 06/02/2018 - 12:30

Capelão é impedido de evangelizar em presídio, após muçulmano denunciá-lo por `extremismo´
Um capelão prisional do Reino Unido, que tem ajudado detentos há 19 anos, disse que foi forçado a sair de seu cargo no ano passado, depois que um imã islâmico o acusou de pregar crenças "cristãs extremistas".

O jornal 'Sunday Times' informou que Paul Song, de 48 anos, capelão cristão, foi deposto de seu papel na prisão de Brixton, no sul de Londres, após uma discussão com o imã Mohammed Yusuf Ahmed, o capelão que administrava o setor de capelania do local.

Ahmed, que substituiu um cristão como capelão gerente em 2015, aparentemente afirmou que o estudo cristão que Song ensina é "muito radical" e que suas crenças cristãs eram muito "extremas", embora o artigo não esclarecesse quais pontos de vista em particular seriam tão questionáveis.

Song, que é ex-policial da Coréia do Sul, revelou que ele foi forçado deixar seu cargo em agosto de 2017, e mais tarde foi notificado que enfrentava "acusações de má conduta" contra um preso que acusou o capelão de se referir a ele como um "terrorista", embora Song tenha negado a acusação.

"Durante 19 anos, eu servi com um histórico exemplar", disse Song. "Trabalhei em harmonia com os detentos e outros membros da equipe, reconhecendo nossas diferenças e orando para que eles chegassem à fé, respeitando igualmente suas decisões e antecedentes".

O Centro Legal Cristão observou que Song ajudou a reabilitar os presos por quase duas décadas.

"Chamar esse cristão que serviu sem nenhuma má conduta por quase 20 anos, de 'extremista' desafia a crença de qualquer pessoa", disse o diretor executivo da CLC, Andrea Williams.

Williams disse ainda ao jornal Premier: "Encontramos em sites de organizações, como a 'Christian Concern', muitos ex-prisioneiros que foram impactados - e que suas vidas se transformaram - como resultado do trabalho, ministério e testemunho de pastor Song. Essa queixa nunca foi fundamentada".

"O nome do prisioneiro ao qual o imã se referiu como 'testemunho do extremismo' de Song em sua denúncia nunca foi revelado", acrescentou.

O Serviço de Prisão e Probação de Sua Majestade respondeu à notícia, afirmando que não pode comentar sobre membros individuais da equipe.

"No entanto, reconhecemos a importância da fé e o impacto positivo que pode ter sobre a vida dos infratores, e é por isso que há equipes de capelania de diversas religiões em cada prisão", explicou o departamento, de acordo com The Sunday Times.

Os capelães prisionais cristãos do Reino Unido foram forçados a sair de suas posições devido a denúncias contra suas pregações em várias ocasiões, nos últimos anos.

O reverendo Barry Trayhorn, um ministro pentecostal ordenado, disse que ele foi forçado a demitir-se em 2015 após um processo disciplinar "injusto e agressivo" que o acusou de citar versículos bíblicos que as autoridades consideravam "homofóbicas".

Trayhorn disse na época que ele estava apenas citando ensinamentos tradicionais, como 1 Corinthians 6, mas foi repreendido por violar as leis de igualdade.

"Eu fiquei muito decepcionado. Tudo o que estava fazendo era pregar a Bíblia e repetir a mesma mensagem de arrependimento que foi ouvida em muitos cultos", disse o ministro na época.

 

http://www.cpadnews.com.br/universo-cristao/43104/capelao-e-impedido-de-evangelizar-em-presidio-apos-muculmano-denuncia-lo-por-extremismo.html


 
 

Anunciem a sua glória entre as nações,
seus feitos maravilhosos entre todos os povos!

Salmos 96:3

SEMADEF
SECRETARIA DE MISSÕES DA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM FRANCA
Rua General Osório, 555 - Estação / CEP: 14.405.107 / Franca - SP / Fone: (16) 3721.0810 - Mail: contato@semadef.com.br
Facebook Google + You Tube
Total de Visitas:
Desenvolvido por: FLAG BRASIL